Mediação Privada

A morosidade do judiciário brasileiro, bem como o alto custo e baixa satisfação com os resultados do processo judicial, tem trazido muitos conflitos imobiliários para o âmbito da busca por uma solução consensual. Para isso contribui notadamente o novo CPC (Lei nº 13.105/2015) que institui no seu Artigo 3°, §3°:

A conciliação, a mediação e outros métodos de solução consensual de conflitos deverão ser estimulados por juízes, advogados, defensores públicos e membros do Ministério Público, inclusive no curso do processo judicial.

De imensa importância para dar segurança jurídica a quem recorre a soluções consensuais pelas vias da Justiça Restaurativa, foi a elaboração do Marco legal da Mediação (Lei n° 13.140/2015), que estabelece a forma exata pela qual o procedimento de Mediação deve ser pautado, bem como sobre a sua validação legal.

Por que optar pela Mediação

Baixo Custo
Transparência em todas as etapas do procedimento
Pacificação definitiva do conflito

Proponha um Acordo

A decisão de ser protagonista na construção de uma solução para um conflito, torna as partes do procedimento de mediação os principais atores de qualquer decisão que venha a ser construída por ambos, cabendo ao mediador o papel de um facilitador, no qual as partes depositaram confiança para conduzir a solução do conflito.

É a sua oportunidade de dar uma solução definitiva para demandas que se arrastam e já chegam ao ponto de lhe tirar o sono.

Conciliação

Nesta modalidade de solução para um conflito imobiliário, você poderá ter a sua demanda previamente analisada por nós na busca da elaboração de uma proposta de solução para o conflito que tenha dupla função.

Em primeiro manifestar boa vontade na solução definitiva da demanda e por fim na exposição dos seus termos para a celebração do acordo.

ARBITRAGEM AD HOC

Quando uma demanda não encontra solução consensual, seja pela via da Negociação, Conciliação ou Mediação, uma possibilidade a ser analisada é a Arbitragem, que tem como premissa a agilidade em todos os seus processos.

Trata-se de Justiça Privada, com instrumento estatuído pela Lei n° 9.307/96 e que na modalidade “Ad Hoc” pode ser modelada pelas partes conflituosas. Uma bela alternativa quando as partes elegem um Árbitro de sua confiança para solução definitiva de uma demanda.

Vamos conversar mais sobre o assunto?

× Como podemos te ajudar?